A historia do jogo Tetris

Esses tempos assisti um documentário no canal Management TV (54 da Sky) falando do jogo Tetris, famoso no final dos anos 80 e início dos 90, onde o objetivo é encaixar os blocos de diferentes formatos e cores que caem na tela formando linhas de cores iguais para que os blocos desapareçam. O jogo acaba quando algum bloco encostar no topo.

Tetris foi um sucesso, vendeu milhões de cópias no mundo inteiro, mas seu criador, o russo Alexey Pajitnov, pouco viu do dinheiro gerado. Isso se deu porque na antiga União Soviética os direitos de propriedade intelectual pertenciam ao governo na época, portando, era compartilhado com todos, e se alguém tentasse comercializar teria sérios problemas, podendo acabar preso. O jogo foi criado no Centro de Computação de Moscow, onde entre outras coisas, Pajitnov criou algoritmos para calcular a trajetória dos satélites Sputnik. Os colegas de Pajitnov passavam horas jogando, pois era diferente dos jogos americanos, repletos de tiros e explosões. O autor coloca que o jogo era estimulante, pois o que ficava na tela eram erros, ou seja, blocos que não haviam sido encaixados corretamente, e os jogadores queriam consertá-los.

Robert Stein, da Andrômeda Software, fazia fortuna comprando software na Hungria e revendendo na Inglaterra. Como o Tetris era copiado de disquete em disquete livremente na época, logo chegou às suas mãos e lhe fascinou. Stein entrou, então, em contato por Telex com Pajitnov lhe oferecendo alguns milhares de dólares pelos direitos. Pajitnov achou irrelevante, pois jogos não eram seu foco, estava preocupado com questões mais importantes, mas respondeu que achou a idéia interessante e que poderiam evoluir o assunto. Stein entendeu que a proposta havia sido aceita e passou a negociar os direitos com a Microsoft para produzir o jogo para PC. Uma campanha de marketing anunciava em jornais e revistas o lançamento do jogo quando Stein recebeu um contato de um representante da Elrog, única organização governamental soviética autorizada a vender software para o exterior, e foi comunicado que o que estavam fazendo era ilegal: não poderiam negociar direto com o criador. Stein, então, conseguiu os direitos por 10 anos em uma reunião na Elrog que o mesmo caracteriza como um interrogatório.

Em 1988 os consoles de videogame já faziam muito sucesso, e a Microsoft e suas sócias na Inglaterra e EUA fecharam um acordo com a Atari para que ela produzisse o jogo para consoles. Em seguida, foram iniciadas negociações com a japonesa Nintendo, através de Henk Rogers, da empresa Bullet Proof. Stein negociava com a Microsoft e Nintendo, e no meio de impasses relacionados à assinatura de contratos e pagamentos vencidos, Henk se deslocou a Moscow para conseguir os direitos do Tetris para o Game Boy da Nintendo, que seria lançado em breve com o jogo Tetris no pacote. Na reunião de Henk com o representante da Elrog, constataram que haviam cedido os direitos apenas para PC a Stein, e que todo a negociação da Microsoft com a Atari era inválida. Sem saber do contato de Henk com a Elrog, Stein assinou uma alteração no contrato onde foram inseridas cláusulas que deixavam clara a licença apenas para PCs e foram estipuladas multas por violações e atrasos nos pagamentos.

Henk fez amizade com o criador, Pajitnov, e acabou conseguindo os direitos exclusivos para console para a Nintendo, o que causou um choque na Atari e suas parceiras no negócio. Atari processou a Nintendo, pois já tinha produzido milhões de cópias dos cartuchos, mas perdeu, e o Tetris foi o ponto chave no sucesso do Game Boy.

E o autor? Não recebeu sequer um centavo até 96, quando o contrato de cessão dos direitos expirou. Pajitnov acabou indo para os EUA em 91, com ajuda de Henk, onde criou uma empresa de desenvolvimento de software chamada Tetris Company, e em 96 foi para a Microsoft como designer de jogos.

Tetris está agora novamente pronto para se tornar um sucesso, em celulares e smartphones, dessa vez gerando receita para Pajitnov.